Três dias em Roma é tempo escasso para conhecer a cidade. Chega apenas para nos apercebermos da magnificiência e do peso da história que nos envolve e nos interpela a cada esquina. Mas, em vez de nos lamentarmos em vão, tiremos o melhor partido de todos os minutos disponíveis.

Como os dias são muito curtos em Novembro, exploremos a cidade também à noite. Roma é quase plana, bem iluminada e não se sente qualquer indício de insegurança. Aliás, interrogamo-nos se serão precisos tantos polícias nas ruas. As ruas estão cheias de pessoas silenciosas e ruidosas, tristes e divertidas, serenas e apressadas, zangadas e enamoradas, cansadas e ágeis, maravilhadas e indiferentes, novas e velhas, pobres e ricas, elegantes e descuidadas, romanas e estrangeiras. Há sempre um ambiente e um cenário para cada estado de espírito.

Este álbum propõe um percurso pelo centro histórico (ver mapa), dividido em quatro segmentos: do Coliseu ao Pantheon, do Corso ao Mausoleu de Augusto, da Piazza Navona à Isola Tiberina e o último visita o Vaticano e o Trastevere. Qualquer um deles pode ser percorrido a pé com esforço moderado.

As fotografias foram tiradas em dias diferentes e a horas diferentes, desde o crepúsculo até cerca da meia-noite. Mesmo às horas tardias, as ruas permanecem animadas, sobretudo nas noites do fim de semana.

Desejamos a todos os visitantes um passeio virtual agradável, e que seja ensejo para calcorrear estas ruas na peugada dos nossos antepassados.

João Gomes Mota

INTRODUÇÃO
2004, Joao Gomes Mota